Entrevista com Paulo Victor

quarta-feira, 24 de fevereiro de 2010

"Eu vivo hoje para voltar a jogar"

O Rede de Vôlei entrevistou o jogador Paulo Victor Valente, que sofreu grave lesão em dezembro do ano passado. Uma fratura exposta na tíbia, tirou o jogador de quadra durante a final do campeonato carioca juvenil.
Graças ao avanço da medicina, hoje, o atleta, depois de duas cirurgias, já anda sem muletas e já planeja sua volta às quadras, esbanjando confiança. Ele agradeceu o apoio das pessoas, do exército, que é seu patrocinador e do Botafogo, clube no qual jogou grande parte de sua vida.

O susto

Quando caiu no ginásio do Tijuca, durante a final do campeonato carioca juvenil, PV sentiu dois estalos na perna e uma pressão no joelho. Ali, naquele momento, o jogador estava sofrendo uma grave lesão. Cerca de cinco horas depois, o atleta estaria na sala de cirurgia para primeira cirurgia na perna, dias depois, precisou fazer a segunda e definitiva cirurgia.

- Foi um susto. Eu senti dois estalos na perna, mas não senti dor. - comentou o jogador

O título

O jogo em que PV se machucou foi interrompido e remarcado. No hospital, o atleta não pôde acompanhar a partida. Seu time, o Botafogo, superou o Tijuca e sagrou-se campeão. Os companheiros de equipe de PV foram até o hospital entregar-lhe a medalha. O jogador comentou o fato:

- No passado, foram 10 anos e meio de Botafogo, mais da metade da minha vida e no último jogo, o time me fez um campeão, mesmo eu não estando em quadra.
Eu terminei as categorias de base da melhor forma possível; campeão, e sendo eleito o melhor jogador do campeonato na minha posição.

A volta por cima

Passado o susto e as cirurgias, PV precisou de um período de recuperação, com sessões de fisioterapias, realizadas no Botafogo:

- Todos os dias são voltados para minha recuperação, eu vivo hoje para voltar a jogar.

Superando as expectativas, hoje o atleta já anda sem muletas e já sonha voltar às quadras:

- O médico disse que se fosse há 10 anos atrás eu ficaria mais de um ano parado, graças a evolução da medicina, em um mês eu já estava andando.

Segundo ele, o apoio e carinho das pessoas, a ajuda do Botafogo e do exército são pontos fundamentais para motivá-lo a voltar a jogar.

- Cada visita me dava mais força. Agradecimento total ao Botafogo, que colocou a minha disposição todos os médicos, os fisioterapeutas, toda a estrutura que eles têm para o futebol. O exército me deixou tranquilo, disseram que renovariam meu contrato e continuariam me patrocinando além de colocarem a equipe médica a minha disposição. - explicou PV

Planos futuros

PV já faz planos para o futuro. Ele espera jogar o mundial militar em agosto deste ano e as olimpíadas militares em 2011. O primeiro torneio depende da sua total recuperação. Quando questionado sobre a volta ao vôlei de quadra, o atleta mostrou-se receoso afirmando que não jogará mais como atacante e dizendo que pretende se dedicar exclusivamente ao vôlei de praia.

- Como eu sou atleta profissional de vôlei de praia, preciso me dedicar integralmente à praia. - Comentou o jogador.

Porém, não descartou a hipótese de voltar às quadras para defender a camisa do Botafogo no campeonato adulto:

- Pretendo, se tiver oportunidade, jogar o adulto pelo Botafogo como líbero.

Levantando a auto estima e cortando a desconfiança, foi dessa forma que o simpático Paulo Victor Valente conseguiu superar sua contusão. Dessa forma, depois de dois meses e meio parece que o atleta voltou a sorrir para o voleibol.

O rede de vôlei parabeniza o atleta por sua capacidade de dar a volta por cima e não desistir, desejando sorte na fase final de sua recuperação e volta ao voleibol.

Confira abaixo o discurso de PV:


video

0 comentários:

Postar um comentário